13/05/2016

Eu não sei mais chorar.


    Desde quando me conheço por gente, sempre fui mais sentimental do que o normal. Eu chorava por tão pouca coisa, sofria pelo que não valia a pena, até chegar ao ponto de não ter mais com o que chorar. A vida já me desapontou e muito, me fez acreditar e ao mesmo tempo desacreditar, me deu altos banhos de água fria. Antigamente eu não sabia como lidar com essas situações adversas, mas eu aprendi tanto que cheguei ao ponto de bater no peito e dizer manda outra por que essa não fez nem cócegas. E é o que anda acontecendo, eu às vezes me chateio, acho que vou chorar, ate já cheguei ao ponto de me esforçar pra que uma lágrima pudesse escorrer do meu rosto, mas nada acontece.

    Meu peito às vezes aperta com menos frequência do que antes, mas ainda assim me sinto sufocar e no final da noite eu sei que aquela agonia vai acabar passando. Meus olhos chegam a marejar, mas nada me comove, nada me impressiona, nada faz com que eu tenha vontade de sentar pra colocar os meus choros em dia. Sabem por que? Por que eu não vou passar a minha vida me lamentando por negatividade. Por coisas que não dão certo, por gente que não merece, por amores que não passaram de meras ilusões e que nem chegaram a ser realmente amores. Eu não sei mais chorar por pouca coisa, o coração chega a doer, mas a vontade de passar por cima de tudo é maior.

    Nem as playlists tristes do spotify me balançam mais. Quando ouço aquela musica depre eu deito na cama e logo me bate um sono, logo me vem o pensamento de que a vida é muito curta pra ficar choramingando e futilmente lembro por um segundo que sou muito novo pra deixar com que lágrimas envelheçam minha pele precocemente. Eu orei por muito tempo pedindo a Deus que me tornasse mais forte, agora eu continuo orando para que ele não deixe com que eu me torne seco ou duro de mais igual a uma pedra e que os sentimentos mais belos deixem de existir em mim por conta da falta da sensibilidade que algum dia eu já tive e não tenho mais.

2 comentários :

© Vinícius Delvalle - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo