23/07/2017

Nem tudo que queremos é a escolha certa.


    Há algum tempo atrás, não aceitaria de forma alguma perder. Quando isso ocorria, sentia que em algum momento havia fraquejado. Que não tinha tomado as rédeas da situação ou até mesmo que estava deixando a minha felicidade e meu destino nas mãos de outra pessoa. Queria sempre culpar o outro, por erros que também eram meus. Por que na minha cabeça, achava que o mundo girava ao meu redor. E com toda humildade do mundo, admito: ele não gira.

    Às vezes, fazemos o que o coração acha que é o certo e talvez, demoremos tempo demais pra criar coragem para tentar. Ninguém vai passar a vida esperando por você, quando há novas possibilidades para tentar ser feliz lá fora. A única coisa que ainda desejo, é que as pessoas possam ser transparentes o suficiente para dizer que não te querem. Não aguento quando alguém quer tirar proveito do sofrimento dos outros para se enaltecer. O que ganham com isso? A sensação de estar no comando? Ou a certeza de que ainda precisa amadurecer muito para se tornar uma pessoa melhor? São questionamentos que sempre me faço.

    Vi um vídeo, em que uma menina dizia com muita naturalidade, que a gente devia se permitir sofrer e chorar. Me assustei quando ela falou isso, mas acabei concordando. Imagina o quão doloroso seria alguém te dizer que te ama, que estaria disposto a largar tudo pra ficar com você e depois, por algum motivo diz que está indeciso ou pior, não te dizer mais nada? E ai que você tem que agir como se nada tivesse acontecido. Por que é assim que tem que ser, não é verdade? Pelo menos é o que parece.

    Justo essa semana, vi um episódio de Gossip Girl em que a Blair diz: "Eu segui meu coração ano passado e isso não me levou a lugar algum. Agora eu preciso seguir a minha cabeça." Chorei tanto ao ponto de parar ao adormecer. E daquele dia em diante, compreendi que apenas amar alguém, não basta. Infelizmente. Vários pensamento que tinha mudaram, exceto o de que a lei do retorno não falha...     

Nenhum comentário :

Postar um comentário

© Vinícius Delvalle - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo